Domingo, 20 de Maio de 2018
Vinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo Slider
 
Notícia
Angola sem apoio internacional para a malária
Maro 11, 2015
Angola vai deixar de beneficiar, a partir de 2018, do apoio do Fundo Global para o combate à malária, doença que no ano passado matou 5.102 pessoas entre os mais de 2,7 milhões de casos registados no país.

Em declarações à agência Lusa, o porta-voz do Programa Nacional de Controlo da Malária (PNCM), Jaime Molossande, explicou que a situação se deve ao facto de Angola passar a país de rendimento médio.

O país passou a beneficiar, em 2005, do apoio do Fundo Global, um organismo internacional que apoia os países em desenvolvimento nos esforços de combate às grandes endemias, como a malária, tuberculose e HIV/SIDA. Até 2014, Angola recebeu 227 milhões de dólares (211 milhões de euros) para o combate a estas doenças.

Segundo Jaime Molossande, a retirada desse financiamento - face à nova classificação em termos de rendimento que será atribuída ao país até final do ano - constitui uma preocupação, na medida em que ainda "há um longo caminho a percorrer" até à erradicação da malária.

Para 2015, o PNCM tem como objetivo a cobertura de diagnósticos com testes rápidos, de redes mosquiteiras, melhorar o sistema de informação, pesquisa e vigilância epidemiológica.

De acordo com dados do PNCM, em 2013 foram registados 6.916 óbitos entre os 2.592.742 casos de malária confirmados.

Em Angola, a malária, doença endémica que continua a ser a principal causa de internamentos e de mortes no país, é hiper-endémica nas províncias de Cabinda, Uíge, Malange, Lundas Norte e Sul e Cuanza Norte, adiantou ainda a agência Lusa.
Assine a nossa newsletter
Horário: 09h00 - 13h00 > 14h30 - 16h30
Praceta projectada, Rua de Moçambique (paralela à Av. Calouste Gulbenkian), Lote Q
1º Esquerdo, Faro · Algarve · Tel. +351 289 897 100 / 289 895 622, Fax. +351 289 897 108/9
This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.
© 2011 Consulado de Angola no Algarve
Programação Step Ahead | Design TripleSky