Terça-Feira, 21 de Agosto de 2018
Vinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo Slider
 
Notícia
China vai ajudar Angola mas recusa dizer qual o valor
Junho 15, 2015
A China anunciou que vai ajudar financeiramente Angola a "superar as dificuldades" criadas pela queda do preço do petróleo" e consequente "diminuição das receitas do governo", mas recusou precisar o montante da ajuda. "Por enquanto vamos tratar isso como uma questão confidencial", disse Lin Songtian, diretor dos Assuntos Africanos do ministério chinês dos Negócios Estrangeiros, num encontro com jornalistas após a assinatura de vários acordos de cooperação bilateral, alguns dos quais envolvendo o ministério angolano das Finanças.

A cerimónia decorreu num salão do Grande Palácio do Povo, em Pequim, com a presença dos presidentes dos dois países, Xi Jinping e José Eduardo dos Santos, respectivamente. "Constatamos que neste momento Angola enfrenta dificuldades criadas pela queda do preço do petróleo e a diminuição das receitas do governo angolano", referiu Lin Songtian. "Tanto o presidente Xi Jinping como o primeiro-ministro, Li Keqiang, disseram que o governo chinês vai ajudar Angola a superar as dificuldades por que está a passar e a diversificar a sua economia", acrescentou.

Referindo-se as conversações entre os dois estadistas, que precederam a assinatura dos acordos, aquele responsável chinês descreveu-as como frutuosas, "produtivas" e "muito pragmáticas". As relações sino-angolanas constituem "um bom exemplo de cooperação", disse. Alem do homólogo chinês, o presidente angolano José Eduardo dos Santos encontrou-se com o primeiro-ministro, Li Keqiang, e com o presidente da Conferencia Politica Consultiva do Povo, Yu Zhengsheng.

O preço do petróleo, uma das principais fontes de receita do governo angolano, caiu cerca de 50% no último ano, afetando nomeadamente o valor das exportações de Angola para a China, o maior cliente daquela matéria-prima.

Assine a nossa newsletter
EVENTOS
2018-08-09 14:07:42
Horário: 09h00 - 13h00 > 14h30 - 16h30
Praceta projectada, Rua de Moçambique (paralela à Av. Calouste Gulbenkian), Lote Q
1º Esquerdo, Faro · Algarve · Tel. +351 289 897 100 / 289 895 622, Fax. +351 289 897 108/9
This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.
© 2011 Consulado de Angola no Algarve
Programação Step Ahead | Design TripleSky