Domingo, 25 de Fevereiro de 2018
Vinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo Slider
 
Notícia
Angola poderá tornar-se fronteira agrícola do Brasil
Fevereiro 23, 2016
O embaixador brasileiro Norton de Andrade Mello Rapesta, afirmou em Menongue, Cuando Cubango, que em função do investimento de empresários do seu país no sector agroindustrial no território nacional, Angola poderá tornar-se uma nova fronteira agrícola do Brasil.

Ao intervir no final do acto de lançamento do projecto das 40 fazendas, destinadas à criação de animais, com destaque para o gado bovino, monitorada e financiada pela empresa brasileira Bovinus do Sudeste de Angola (S.A), Norton Rapesta frisou que o projecto representa a abertura de uma fronteira agrícola, utilizando a experiência do Brasil para partilhar e instruir os técnicos angolanos para uma sábia gestão dos solos.

Para si, a existência de um território grande, solo fértil e gente que gosta de trabalhar, poderá transformar rapidamente Angola e, sobretudo a região do Cuando Cubango, num celeiro com altos níveis de produção.

“Muitos angolanos ajudaram a plantar no Brasil, durante séculos e muitas técnicas que se usam naquele país da américa latina, vieram da África e hoje adaptadas ou reformadas. Os brasileiros compartilham com os africanos”, sublinhou.

Sem avançar o montante, disse que o Brasil tem grandes linhas de crédito para projectos de infraestruturas, explicando que a principal diferença é que a linha de crédito brasileira gere empregos localmente e não importa trabalhadores.

O embaixador do Brasil em Angola realçou a participação da comunidade local, sobretudo dos jovens que encontram no projecto de construção das 40 fazendas o seu primeiro emprego, assegurando que é um início do que vai ser o grande celeiro agrícola, porque tem a participação de empresas do seu país, que criam empregos e formam as pessoas.

Assine a nossa newsletter
Horário: 09h00 - 13h00 > 14h30 - 16h30
Praceta projectada, Rua de Moçambique (paralela à Av. Calouste Gulbenkian), Lote Q
1º Esquerdo, Faro · Algarve · Tel. +351 289 897 100 / 289 895 622, Fax. +351 289 897 108/9
This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.
© 2011 Consulado de Angola no Algarve
Programação Step Ahead | Design TripleSky