Terça-Feira, 21 de Agosto de 2018
Vinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo Slider
 
Notícia
Chefes de Estado discutiram em Luanda os conflitos na RD Congo
Outubro 03, 2016
Luanda recebeu a 26 de Outubro uma cimeira de chefes de Estado africanos e quatro organizações internacionais para abordar os recentes desenvolvimentos na República Democrática do Congo (RD Congo). A cimeira de Luanda resulta do Acordo-Quadro para a Paz, Segurança e Cooperação na RDCongo e na região (assinado em 2013) e promovido pelas Nações Unidas, União Africana, SADC (Comunidade de Desenvolvimento da África Austral) e Conferência Internacional para a Região dos Grandes Lagos, esta última liderada por Angola.

Os recentes desenvolvimentos na RD Congo, com o recrudescer da violência, motivaram a realização da cimeira, indicou fonte diplomática. A 21 de Setembro foi noticiado que a violência que ocorreu durante dois dias em Kinshasa provocou a morte a mais de 100 pessoas, estimaram fontes da oposição na RD Congo, o que mais do que triplica as estimativas policiais.

No centro das manifestações está a exigência de saída do poder de Joseph Kabila no final do mandato, em Dezembro, rejeitando que se recandidate e o adiamento das próximas eleições. “O Estado vai fazer tudo para manter a ordem na RD Congo, o procurador [geral da República, do país vizinho] está a investigar todos os casos que acontecerem nesses dias. A intenção do governo é de fazer valer a autoridade do Estado, ao mesmo tempo que o governo mantém a ideia de prosseguir e concluir o diálogo político”, disse recentemente o ministro das Relações Exteriores Georges Chikoti, após reunir-se em Nova Iorque com o homólogo congolês, Raymond Tshibanda.

Na guerra civil na RD Congo, entre 1998 e 2002, Angola e o Zimbábue enviaram tropas para aquele país para apoiar o regime do então presidente, Laurent Désiré Kabila, pai de Joseph Kabila, que foi assassinado em Janeiro de 2001 pelos rebeldes, apoiados pelo Ruanda, Uganda e Burundi.
Assine a nossa newsletter
EVENTOS
2018-08-09 14:07:42
Horário: 09h00 - 13h00 > 14h30 - 16h30
Praceta projectada, Rua de Moçambique (paralela à Av. Calouste Gulbenkian), Lote Q
1º Esquerdo, Faro · Algarve · Tel. +351 289 897 100 / 289 895 622, Fax. +351 289 897 108/9
This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.
© 2011 Consulado de Angola no Algarve
Programação Step Ahead | Design TripleSky