Terça-Feira, 21 de Agosto de 2018
Vinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo Slider
 
Notícia
Angola comemora 40 anos na ONU
Dezembro 05, 2016
Os 40 anos da admissão de Angola na Organização das Nações Unidas (ONU), ocorrida a 1 de Dezembro de 1976, foi celebrado sexta-feira última, pela Missão Permanente do país junto do organismo internacional, em Nova Iorque.

O acto foi presidido pelo representante permanente de Angola junto das Nações Unidas, embaixador Ismael Martins, e contou com a participação do representante permanente adjunto, embaixador Hélder Lucas, a embaixatriz Luzia Gaspar Martins e funcionários da Missão Permanente. Ismael Martins descreveu, na ocasião, o percurso de Angola desde a luta pela sua independência até à admissão na Organização das Nações Unidas. Durante a cerimónia, decorrida nas instalações da Missão Permanente, Ismael Martins exortou os funcionários a continuarem a primar pelo patriotismo e preservação das “importantes conquistas” do país na arena interna e internacional.

Angola foi admitida como membro da ONU durante a 31.ª sessão da Assembleia Geral, presidida por Hamilton Shirley Amerasinghe (Sri Lanka) e na qual o país participou com uma delegação chefiada pelo então ministro das Relações Exteriores e actual Presidente da República, José Eduardo dos Santos. A cerimónia foi testemunhada pelo ex-Secretário-Geral das Nações Unidas, Kurt Waldheim.

Na altura, José Eduardo dos Santos lembrou aos presentes sobre as inúmeras dificuldades enfrentadas pelo povo angolano para alcançar a Independência Nacional, e expressou gratidão aos Estados membros da ONU que apoiaram esses esforços de liberdade. Desde a sua admissão na ONU, Angola tem sido um membro activo e interventivo, tendo integrado vários órgãos, com realce para o Conselho de Segurança (2003-2004 e 2015-2016), o Conselho dos Direitos Humanos e o Conselho Económico e Social.

A ONU foi criada a 24 de Outubro de 1945 com o principal objectivo de fomentar a paz entre as nações, cooperar para o desenvolvimento sustentável e promover soluções de respeito pelos direitos humanos e pelas liberdades fundamentais, preservar a paz e a segurança mundiais e estimular a cooperação internacional na área económica, social, cultural e humanitária.

De acordo com a declaração do Ministério das Relações Exteriores por ocasião do 40º aniversário da admissão na ONU, como membro de pleno direito, Angola tem-se mostrado actuante no cumprimento dos propósitos da Organização, com ênfase na luta pela libertação total e pela estabilidade do continente, destacando-se o papel preponderante como presidente da Conferência Internacional da Região dos Grandes Lagos.

Durante os dois mandatos como membro não-permanente do Conselho de Segurança das Nações Unidas, Angola tem participado, de forma activa, na resolução pacífica dos diferendos e em questões sobre a manutenção da paz e segurança internacionais, com destaque para os conflitos na região, considerando de extrema importância o papel do multilateralismo na resolução de conflitos universais numa lógica de diálogo, de responsabilidade e de benefícios partilhados. Por esse motivo, o país continua a atribuir à ONU o papel de força motriz do esforço global para a manutenção da paz, estabilidade e desenvolvimento económico e social no mundo e defende a ideia de que o diálogo, a negociação e a inclusão política e social são a melhor via para a busca de soluções que visam pôr fim aos conflitos.

Angola saúda o contínuo esforço do Sistema das Nações Unidas na implementação dos compromissos internacionalmente adoptados, bem como os decorrentes da Agenda de Addis Abeba sobre o Financiamento ao Desenvolvimento, e o Protocolo de Paris sobre Mudanças Climáticas de entre outros, todos eles voltados para a resolução dos problemas globais e para a criação de melhores condições de vida para as populações.

As autoridades angolanas reconhecem o apoio e assistência do Sistema da ONU prestados em época de conflito às populações carentes e nos programas de desenvolvimento ao longo de 14 anos de paz efectiva, augurando votos de reforço das relações para a concretização dos Objectivos do Desenvolvimento Sustentável e na aplicação do roteiro do processo de Graduação dos PMA, conforme a Resolução da Assembleia Geral de Fevereiro deste ano.

Assine a nossa newsletter
EVENTOS
2018-08-09 14:07:42
Horário: 09h00 - 13h00 > 14h30 - 16h30
Praceta projectada, Rua de Moçambique (paralela à Av. Calouste Gulbenkian), Lote Q
1º Esquerdo, Faro · Algarve · Tel. +351 289 897 100 / 289 895 622, Fax. +351 289 897 108/9
This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.
© 2011 Consulado de Angola no Algarve
Programação Step Ahead | Design TripleSky