Terça-Feira, 11 de Dezembro de 2018
Vinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo Slider
 
Notícia
Angola exporta menos petróleo mas está a ganhar mais
Maio 07, 2018
Angola exportou 136,2 milhões de barris de petróleo no primeiro trimestre, o que projecta uma revisão em baixa para 2018 em quantidade, mas com cada barril cotado acima do previsto, o encaixe fiscal excede já o esperado. De acordo com dados do Ministério das Finanças de Angola sobre a exportação e receita fiscal do sector petrolífero, compilados esta sexta-feira pela agência Lusa, as vendas totais do petróleo angolano ascenderam a mais de 8.350 milhões de dólares (6.800 milhões de euros) entre Janeiro e Março.

Na origem deste resultado está uma cotação média, por barril exportado, acima dos 61 dólares, quando as previsões do Governo angolano, no Orçamento Geral do Estado (OGE) para 2018, estão fixadas em 50 dólares. Com a previsão do Governo, as vendas concretizadas deveriam ter ficado à volta dos 6.800 milhões de dólares (5.500 milhões de euros), nos primeiros três meses do ano.

Para todo o ano de 2018, as previsões do Governo no OGE apontam para a exportação de 620 milhões de barris de crude e um encaixe em receita fiscal a rondar os 2,399 biliões de kwanzas (9.000 milhões de euros). Nos primeiros três meses do ano, impulsionadas pela cotação do barril de crude acima do orçamentado, as receitas fiscais estão acima do esperado, tendo atingido os 701 mil milhões de kwanzas (2.640 milhões de euros).

A este ritmo, a produção deverá ser revista em baixa, em termos de quantidade, face às metas do Governo, mas com um maior volume de vendas e de receitas fiscais angariadas em 2018. Angola mantém-se como segundo maior produtor de petróleo em África, com 1,6 milhões de barris de crude por dia.

O acordo entre os países produtores de petróleo, com vista a reduzir a produção para provocar o aumento da cotação do barril de crude, está a influenciar este resultado, com a quebra no volume do petróleo garantido por Angola. Em termos de receitas fiscais com a venda de petróleo, o Governo angolano previa angariar no ano passado, inicialmente, cerca de 1,695 biliões de kwanzas (9.100 milhões de euros, à taxa de câmbio de 31 de Dezembro de 2017). Contudo, acabou por arrecadar, segundo dados do Governo, 1,615 biliões de kwanzas (8.670 milhões de euros, à taxa de câmbio de 31 de Dezembro de 2017) nos 12 meses, pelo que falhou a meta orçamentada, por cerca de 400 milhões de euros.

Assine a nossa newsletter
Horário: 09h00 - 13h00 > 14h30 - 16h30
Praceta projectada, Rua de Moçambique (paralela à Av. Calouste Gulbenkian), Lote Q
1º Esquerdo, Faro · Algarve · Tel. +351 289 897 100 / 289 895 622, Fax. +351 289 897 108/9
This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.
© 2011 Consulado de Angola no Algarve
Programação Step Ahead | Design TripleSky